quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Milena


あなたの目の前Milenaさん私のレース
(Anata no me no zen, Milena-san de watashi no kokoro no rēsu!)
O meu coração dispara ao ver você, Milena!
"Quando te vi, meu coração deu até lag"

Milena me humilhando no Guitar Hero - segunda feira, 14/12/2010

Há pessoas que entram em nossas vidas e fazem uma revolução, e nos trazem grandes alegrias, e uma imensa saudade sempre que temos de nos despedir... Essa é uma delas em minha vida... Uma das poucas! ^^"

=======
Milena

Tantas diferenças
que nos dão igualdade,
tamanha distância
que me mata de saudades.
Momentos perfeitos
pela Liberdade;
tudo com quem
me traz felicidade.


Você me anima,
traz força á minha vida;
meu caminho, ilumina,
me acalma e me ensina.
Minha vida, sem você,
significado não teria;
sem te conhecer
meu coração morreria.


Você é a música
que rege meu caminho;
perto de você,
não me sinto sozinho.
Seus braços e abraços
me fazem tão bem;
e sua companhia,
não vivo mais sem.


Você é especial para mim,
quero que se lembre,
que em meu coração
você estará para sempre!


madrugada de 11/12/2010 para 12/12/2010 - 5h13

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Pequenas frases, grandes efeitos

QUEM NUNCA ASSISTIU "Anos Incríveis" e se identificou com algumas das situações e pensamentos sobre a vida de Kevin Arnold?

“Professores nunca morrem. Vivem em sua memória para sempre. Eles estavam lá quando você chegou; eles ficaram lá quando você foi embora. Como acessórios. Às vezes lhe ensinavam alguma coisa. Mas nem sempre. E você nunca chegava a conhecê-los realmente nem eles a você. Ainda assim, por algum tempo, você acreditava neles. E, se tivesse sorte, talvez um deles acreditasse em você “.

Kevin era apaixonado pela Winnie. Certo dia, ele ficou com uma menina da qual não gostava. E a Winnie estava namorando com um jogador de futebol americano. Kevin descobre a solidão:

“Até aquele momento eu não tinha idéia do quanto podia doer perder algo que nunca se teve realmente.”

Sobre seu pai, Kevin disse o seguinte:

“E ele sempre estaria lá, um parceiro silencioso. Foi o primeiro a me receber quando me formei no colégio e foi o último a sair quando fui para a faculdade. Minha mãe me contou que ele ficou horas na rua após eu me despedir”.

Sobre as marcas do tempo:

“Nós temos pressa, mas é preciso aprender que às vezes o tempo corta nosso peito como faca e deixa a marca pra sempre.”

Kevin havia tomado aulas de piano para tocar num recital, mas desistiu porque um menino, que tocava melhor que ele, iria apresentar a mesma música:

“Quando somos crianças, somos um pouco de cada coisa. Artista, cientista, atleta, erudito. Às vezes parece que crescer é desistir destas coisas, uma a uma. Todos nos arrependemos por coisas das quais desistimos. Algo de que sentimos falta. De que desistimos por sermos muito preguiçosos, ou por não conseguirmos nos sobressair, ou por termos medo”.

Quando a irmã dele vai embora pro Alasca, Kevin diz:

“É quando os irmãos desejam terem se conhecido melhor.”

Sobre uma menina esquisita com quem ele havia dançado quadrilha e sente vergonha de ser amigo dela:

“Algumas pessoas passam por sua vida e você nunca mais pensa nelas. De outras, você se lembra e talvez imagine o que pode ter acontecido com elas. Outras, você imagina se pensam no que aconteceu a você. E há aquelas que você não gostaria nunca mais de lembrar, mas se lembra.”

Essa é uma das minhas preferidas, por me fazer lembrar de todas as pessoas que me são caras, mas estão longe, num “reino tão tão distante”:

“Existem pessoas que passam em nossa vida e vão embora e nunca mais ouvimos falar. Outras entram e permanecem para sempre. E há aquelas que passam e vão embora, mas jamais as esqueceremos.”

Kevin, ecoando o sonho de Martin Luther King Jr.:

“Haverá o dia em que os homens serão lembrados pelas suas ações e não por sua cor, crença ou condição.”

No episódio “Corações Partidos II”, Kevin pegando carona em Rousseau, que disse que “nada está mais sob o nosso domínio que o coração, mas longe de podermos comandá-lo, somos forçados a oberdecer-lhe”:

“O amor nos obriga a fazer coisas engraçadas. Ele nos torna orgulhosos, ele nos deixa arrependidos(…). E mesmo que eu não soubesse que caminho seguiríamos, sabia que não podia deixar que ela saisse da minha vida.”

Em busca do amor perfeito:

“Por toda a nossa vida, procuramos por alguém pra amar… alguém que nos complete… nós escolhemos companhias e mudamos de companhias… dançamos músicas que falam de corações partidos e de esperança… e por todo o tempo pensando se, em algum lugar, de alguma forma, existe alguém perfeito, que esteja à nossa procura…”

No dia em que a Winnie vai embora, Kevin a observa partir da varanda da sua casa, enquanto seu pensamento viaja:

“E se os sonhos e as recordações se misturam, é assim mesmo que deve ser… porque todos merecer ser heróis.”

Kevin crescendo:

“Quem estaria certo e quem estaria errado? Agora eu sou adulto e continuo sem saber. Mas em algum momento, tarde da noite, quase ao adormecer, as idéias e desentendimentos se dissipam e restam apenas as pessoas. E as pessoas naquele tempo não eram diferente do que sempre foram e sempre serão. As moças se apaixonam. Os homens e as mulheres sofrem sozinhos pelas escolhas que fizeram. E os meninos, confusos, cheios de medo, de amor e de coragem crescem silenciosamente enquanto dormem.”

No último episódio, Kevin se despede assim:

“Crescer acontece muito depressa. Um dia, você está de fraldas e no outro já está indo embora. Mas as lembranças da infância permanecem com você durante muito tempo. Me lembro de um lugar… uma cidade… uma casa… Como todas as outras casas….Um jardim, como todos os outros…. numa rua, como todas as outras. E… depois de todos esses anos, eu continuo a me lembrar… com admiração.”

Para finalizar assistam o vídeo de abertura do seriado Anos Incríveis e boas lagrimas
Tempos bons que não voltam mais




Há pessoas que eu adoraria que se lembrassem de mim para sempre, há outras que o meu último desejo de vida seria que ela se esquecesse de mim tão pronto quanto eu partisse.
Mas eu sei que eu as carrego em meu coração, pois cada uma delas, cada lembrança delas está implantada em mim, e me acompanha durante toda a minha vida.
De maneira nenhuma eu me arrependo de ter conhecido a maioria delas, alguns eu admito que sim, mas de alguma forma, estas, contribuíram para o meu crescimento. - Jeny

^^

Nunca

NUNCA

o beijo não dado
o abraço mal falado
o tempo passado 

não há mais voltaa no tempo
Pois ele foi levado junto ao vento
Não há mais tempo
Nao há mais vento
Não ha mais abraço
nao há mais espaaço

não ha mais beiji
não há mais jeito

só há o nunca
nunca beijo
nunca abraço
nunca lembrnças
nunca...


autora: Teruko

Dudjinka

Quem está lendo aqui (Tempo Real)

PORTA CURTAS - Festival do Rio 2009