segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Poesia - Á Minha Amiga Érica Elen - (11/9/2002 - das 17:00 ás 17:41)

Á Minha Amiga Érica Elen...
Uma grande amizade... Uma poesia...

Á Minha Amiga Érica Elen

Nossa amizade começou
de repente, do nada.
Falávamos de tudo,
até do futuro...

Meu destino te achou,
que amizade mais linda!
Até fiquei mudo,
me escondi no escuro...

Descobriste a entrada
e em meu coração entrou,
viu a bagunça que estava,
e mesmo assim me ajudou.

Oh, querida amiga,
passamos por muita dificuldade,
mas nossa vida sofrida
trouxe a maior amizade...

Grandes amigos somos,
e eternamente seremos,
pois nós somos donos
do destino que queremos!

Me ajudaste sempre
quando mais precisei!
Ajudo-te sempre,
e pra sempre irei...

Lembro do passado,
lágrimas me umedecem,
pois tudo que foi feito
nem os anjos esquecem...

Tocaste meu coração,
e nele ficaste...
Estendo-te a mão,
para que nunca se afaste!

Quero-te ao meu lado,
pra sempre sorrindo,
pois pra ti ser feliz,
estarei sempre te ouvindo!

Espero nunca te perder,
pois solitário ficaria...
Queria sempre te ver,
e viver eternamente este dia!

Henrique Takimoto Jasa
(São Paulo - SP) (11/9/2002 - das 17:00 ás 17:41)

Poesia - Guerra e Paz - 2001

Guerra e Paz

" Sei que podemos vencer, esta guerra com muita paz.
Sei que pode haver, outras guerras e muito mais.
Posso até compreender o seu jeito de pensar,
mas irei até o fim, até essa guerra terminar.

Você pode achar que sou louco,
mas o que eu quero, ainda é muito pouco!"

Autor - Henrique Takimoto Jasa

Poesia - Saudades Do Meu Passado - (5/maio/2001)

Saudades Do Meu Passado

Ah, que saudade do tempo
que eu era um pouquinho mais feliz...
do tempo que eu era criança
e viver de novo o que eu fiz...

Como poderia eskecer,
as brincadeiras, os amigos?
a felicidade a crescer
ao relembrar momentos antigos.

Tudo que sei é que agora envelheci
pouco, pois sou adolescente,
mas posso já garantir
que terei uma vida mais descente.

Sinto muita falta de minha infância
tão pura de inocência.
Agora só me restam lembranças,
e saudades, e uma grande ausência.

Tantos amigos tive,
poucos ainda restaram.
A distancia nos separou,
e hoje de mim, nada lembraram.

Queria ao menos uma vez poder dizer
a todos o que eu sinto,
mas tenho medo de sofrer
pois sou fraco e muito tímido.

Até hoje, muita gente conheci,
a maioria, contatos eu perdi.
Como poderia ter de volta,
todo tempo que perdi?

Ah, como era bom ter só 3 anos,
quando eu não precisava me preocupar.
Como era ótimo viver
apenas pra brincar e se animar!

O passado não pode alterar meu presente,
mas sei que poderia melhorar meu futuro.
Pois lembranças podem mostrar,
erros que preciso consertar.

Durante esses anos
ando meio confuso.
Nos colégios que estudei,
tenho saudades e uma tristeza.
Perdi contatos com os amigos
e até mesmo com a Natureza.

Seria ótimo reencontrar
tanta gente que conheci.
Só me resta esperar
ir atrás e ser feliz.

Minhas sudades não se acabam,
nem minha vontade de voltar,
mas surpresas que me esperam,
num futuro, irei aproveitar.

Autor - Henrique Takimoto Jasa (5/maio/2001)

Dudjinka

Quem está lendo aqui (Tempo Real)

PORTA CURTAS - Festival do Rio 2009